Jornal do Commercio

Bastidores

'Sangue nordestino eu tenho', diz Cauã Reymond em gravação de Justiça, em Jaboatão

Ator esteve em Barra de Jangada nesta quarta-feira (1) gravando cenas do último capítulo da minissérie da Globo

Robson Gomes

Publicado em

Cauã Reymond é um dos atores que estão no Grande Recife gravando a minissérie Justiça, da Rede Globo.
Cauã Reymond é um dos atores que estão no Grande Recife gravando a minissérie Justiça, da Rede Globo.
Foto: Instagram/@cauareymond/Reprodução

Tarde de muito movimento numa casa noturna em Barra de Jangada, Jaboatão dos Guararapes. Embora fóssemos convidados, o acesso ainda era proibido. Motivo: Cauã Reymond e Drica Moraes estavam gravando uma cena secreta do último capítulo da minissérie Justiça, que estreia no segundo semestre, no horário das onze da Rede Globo.

Minutos depois, os atores saíram caracterizados para conversar rapidamente com a imprensa. A veterana atriz Drica Moraes comentou a felicidade de poder gravar um trabalho fora do Rio de Janeiro, onde fica a emissora: "O vento tá me soprando pra Pernambuco. Eu fiz Verdades Secretas aqui há menos de um ano, fiquei um mês quase. E agora, com Justiça, veio essa oportunidade de voltar", disse ela. "A gente curte pouco a cidade, mas o deslocamento é muito bom. Sair do Rio, produzir em outro lugar, entrar em contato com as pessoas da cidade, com a produção local, é muito interessante", ressaltou. Drica viverá Vânia, uma mulher virtuosa, mas se casa com um político corrupto que destrói a sua vida. E ela dá mais uma dica: "É uma personagem auto-destrutiva".

Cauã Reymond também conversou com os jornalistas. Muito simpático e solícito, falou um pouco de seu personagem, o contador Maurício: "Ele vive uma situação superlimite. Ele tem a esposa atropelada (interpretada por Marjorie Estiano) que é uma bailarina e fica tetraplégica. Ela pede pra fazer uma eutanásia nela, ele faz. Ele é preso e sai da cadeia decidido a se vingar da pessoa que atropelou ela", resume ele. Em Justiça, a personagem de Marjorie será atropelada por Antonio Calloni. Cauã também comentou o quanto estava feliz em gravar no nordeste novamente, onde ele fez a série Amores Roubados (em Petrolina), o filme Reza a Lenda e agora, Justiça: "Meu avô era paraibano. Eu adoro o sotaque, adoro as pessoas... E aqui em Pernambuco me sinto a vontade, gosto da comida... Pena que tem tubarão em Boa Viagem, né?", brincou.


Em Justiça, que tem os pernambucanos Pedro Wagner e Jesuíta Barbosa no elenco, Reymond ressaltou que contracenará com Irandhir Santos na minissérie Dois Irmãos, de Luiz Fernando Carvalho, que estreia em janeiro. O ator ressaltou a grande presença dos pernambucanos no meio artístico: "Os pernambucanos querem dominar o mundo, né? Eu sempre falo isso. E tão dominando. Sou fã do Irandhir, sou fã do Kleber (Mendonça Filho). Eu ainda não vi Aquarius, achei muito espetacular ver um filme daqui em Cannes. Sou superfã do cinema nordestino e pernambucano. E Gabriel Mascaro também. O Boi Neon é incrível!", relembrou. Ao se despedir, o ator agradeceu: "Obrigado pela recepção. Adoro trabalhar aqui! Sangue nordestino eu tenho!", encerrou, aos risos.

LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS

Quer receber notícias pelo whatsapp?