Jornal do Commercio

ato obsceno

Estudante denuncia assédio dentro de faculdade particular no Recife

Segundo a vítima, o assédio ocorreu quando ela estava com uma colega num corredor da faculdade e outro jovem começou a se masturbar

JC Online

Publicado em

As alunas prestaram queixa na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, área central do Recife
As alunas prestaram queixa na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, área central do Recife
Foto: Reprodução/ Google Street View

Uma universitária denunciou à Polícia ter sido assediada por um colega dentro das dependências de uma faculdade particular no centro do Recife, nesta quarta-feira (10). Segundo informações da Delegacia da Mulher, localizada em Santo Amaro, a jovem estava com uma amiga em um corredor da instituição quando um estudante começou a se masturbar.

Ainda de acordo com a polícia, a estudante estava distraída e não notou o que estava acontecendo, mas a colega que a acompanhava, ao perceber, gritou e chamou a atenção das pessoas que estavam no local para o assédio. Os seguranças do Centro Universitário Joaquim Nabuco (Uninabuco), localizado no bairro de Santo Antônio, foram acionados e levaram os alunos para a coordenação.

A assessoria de imprensa do Grupo Ser Educacional, responsável pela Uninabuco, informou que uma sindicância foi aberta para apurar o caso e o aluno suspeito foi liberado antes da chegada da polícia - porque não havia circunstâncias legais para que ele ficasse no local até a chegada das autoridades.


As duas alunas foram encaminhadas para a Delegacia da Mulher, onde prestaram queixa do ocorrido.

Nota à imprensa

Por meio de nota, a Uninabuco reiterou que instaurou a abertura de um procedimento administrativo para apuração do caso e que serão tomadas as medidas cabíveis. Leia a íntegra:

"A UNINABUCO – Centro Universitário Joaquim Nabuco informa que tomou conhecimento do fato ocorrido na tarde desta quarta-feira (10), e que foi instaurado um procedimento administrativo para apuração do caso, para que sejam tomadas as medidas cabíveis. A instituição ressalta que, sob nenhuma hipótese, compactua com nenhum tipo de violência, seja física, verbal ou psicológica."

LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS

Quer receber notícias pelo whatsapp?