Jornal do Commercio

REFORMA

'A Previdência é uma fotografia da desigualdade brasileira', afirmou Armando Monteiro

Senador defendeu a necessidade da Reforma da Previdência e criticou lideranças do PSB que, segundo ele, teriam 'posições ambíguas' em questões polêmicas e falou sobre o desejo de governar Pernambuco

JC Online

Publicado em

 Entrevista foi concedida ao programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17)
Entrevista foi concedida ao programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17)
Foto: Reprodução/Facebook

O senador e ex-ministro Armando Monteiro (PTB) defendeu o andamento da Reforma da Previdência durante entrevista concedida ao programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17).

Segundo ele, a medida evitará que o Brasil tenha prejuízos futuros em setores como educação e saúde, prejudicando o investimento nas novas gerações.

"Se não cuidarmos dessa trajetória explosiva do déficit previdenciário, em cerca de 20 anos viveremos em um País com sérias dificuldades. A sociedade precisa fazer uma escolha: carregar esse sistema previdenciário a qualquer custo, ainda que isso prejudique investimentos futuros, ou fazer ajustes nesse modelo. Atualmente, 41% de tudo o que se gastam corresponde a gastos previdenciários", afirmou o senador. 

Para ele, a proposta é um caminho inevitável e necessário, já seguido em todo o mundo.

"A Reforma é uma necessidade. Todos os países do mundo tem dado curso nisso porque há um envelhecimento da população. A Previdência é um ônus crescente que decorre da demografia, do perfil demográfico. O Brasil é um País jovem com custo de País velho", disse Armando. 

publicidade

Apesar de ter se mostrado favorável à proposta, o ex-ministro disse que o projeto ainda precisa de adequações e não deve ser pensado e implementado de forma abrupta, assim como também não pode continuar imutável.

" Duas coisas são inaceitáveis: dizer que não pode mexer e deixar como está, como muitos demagogos afirmam e muito menos realizar uma reforma selvagem, a qualquer preço. A Previdência é uma fotografia da desigualdade brasileira. É preciso buscar uma convergência e aperfeiçoar a proposta", declarou.

PSB e candidatura

Armando Monteiro criticou ainda o que classificou como um posicionamento 'ambíguo' de lideranças do PSB, partido do prefeito do Recife, Geraldo Julio e do Governador de Pernambuco, Paulo Câmara. 

"As lideranças do PSB tem posições ambíguas porque só querem ter do Governo o bônus. Quando tem alguma medida mais onerosa, dizem que não são do Governo. Tenho consciência de que os 12 anos do PSB estão se esgotando, nao é mais um projeto que inspire e não oferece um rumo", afirmou Armando. 

O senador deixou claro seu interesse em governar Pernambuco e disse que está reunindo forças para isso.

"Eu gostaria de ser governador de Pernambuco. Vamos juntar forças para construir um projeto alternativo", declarou. 


LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS