Jornal do Commercio

REFORMA

'A Previdência é uma fotografia da desigualdade brasileira', afirmou Armando Monteiro

Senador defendeu a necessidade da Reforma da Previdência e criticou lideranças do PSB que, segundo ele, teriam 'posições ambíguas' em questões polêmicas e falou sobre o desejo de governar Pernambuco

JC Online

Publicado em

 Entrevista foi concedida ao programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17)
Entrevista foi concedida ao programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17)
Foto: Reprodução/Facebook

O senador e ex-ministro Armando Monteiro (PTB) defendeu o andamento da Reforma da Previdência durante entrevista concedida ao programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17).

Segundo ele, a medida evitará que o Brasil tenha prejuízos futuros em setores como educação e saúde, prejudicando o investimento nas novas gerações.

"Se não cuidarmos dessa trajetória explosiva do déficit previdenciário, em cerca de 20 anos viveremos em um País com sérias dificuldades. A sociedade precisa fazer uma escolha: carregar esse sistema previdenciário a qualquer custo, ainda que isso prejudique investimentos futuros, ou fazer ajustes nesse modelo. Atualmente, 41% de tudo o que se gastam corresponde a gastos previdenciários", afirmou o senador. 

Para ele, a proposta é um caminho inevitável e necessário, já seguido em todo o mundo.

"A Reforma é uma necessidade. Todos os países do mundo tem dado curso nisso porque há um envelhecimento da população. A Previdência é um ônus crescente que decorre da demografia, do perfil demográfico. O Brasil é um País jovem com custo de País velho", disse Armando. 

publicidade

Apesar de ter se mostrado favorável à proposta, o ex-ministro disse que o projeto ainda precisa de adequações e não deve ser pensado e implementado de forma abrupta, assim como também não pode continuar imutável.

" Duas coisas são inaceitáveis: dizer que não pode mexer e deixar como está, como muitos demagogos afirmam e muito menos realizar uma reforma selvagem, a qualquer preço. A Previdência é uma fotografia da desigualdade brasileira. É preciso buscar uma convergência e aperfeiçoar a proposta", declarou.

PSB e candidatura

Armando Monteiro criticou ainda o que classificou como um posicionamento 'ambíguo' de lideranças do PSB, partido do prefeito do Recife, Geraldo Julio e do Governador de Pernambuco, Paulo Câmara. 

"As lideranças do PSB tem posições ambíguas porque só querem ter do Governo o bônus. Quando tem alguma medida mais onerosa, dizem que não são do Governo. Tenho consciência de que os 12 anos do PSB estão se esgotando, nao é mais um projeto que inspire e não oferece um rumo", afirmou Armando. 

O senador deixou claro seu interesse em governar Pernambuco e disse que está reunindo forças para isso.

"Eu gostaria de ser governador de Pernambuco. Vamos juntar forças para construir um projeto alternativo", declarou. 


LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS

Quer receber notícias pelo whatsapp?