Jornal do Commercio

FRANÇA

Ataque em Paris fecha avenida e deixa mortos

Atirador teria aberto fogo contra policiais na principal avenida de Paris

JC Online

Publicado em

Polícia pede que pessoas evitem o local
Polícia pede que pessoas evitem o local
Foto: Thomas Samson/AFP

Um ataque na principal Avenida de Paris, a Champs-Élysées, deixou um policial morto e dois feridos. Segundo a imprensa local, um homem abriu fogo contra os oficias e levou pânico a quem transitava na localidade. O atirador também foi abatido.

 De acordo com relatos, o homem considerado suspeito pela polícia teria sido abordado e já revidado atirando. Os disparos atingiram policiais e podem também ter atingido transeuntes.

 

Imagens do local mostram dezenas de viaturas policiais e veículos oficiais na avenida. A Prefeitura de Paris pediu que os cidadãos evitem a região por questões de segurança.

publicidade

Mortos

De acordo com a imprensa local, um policial foi morto, assim como o atirador. Há relatos, inclusive, de outros dois policiais feridos. O Ministério do Interior já começa a trabalhar com a hipótese de um ataque por conta da atitude do suspeito, que chegou ao local de carro, atirou e ainda tentou fugir.

Período eleitoral

A França está a 3 dias da eleição presidencial. Num processo que pode atingir índices recordes de abstenção, a população tem de escolher entre candidatos mais conservadores como Marine Le Pen; e outros de extrema-esquerda, como Jean-Luc Mélenchon, do movimento França Insubmissa. A candidata de extrema-direita publicou no seu Twitter mensagem de solidariedade às forças policias do País. 

Atentado frustrado 

Dois homens "radicalizados", suspeitos de preparar um ataque "iminente" na França, foram detidos nessa terça-feira (18) em Marselha (sudeste), a cinco dias do primeiro turno da eleição presidencial.

ultimos-ataques-franca

  •  - Foto: AFP
    - Foto: AFP
  •  - Foto: AFP
    - Foto: AFP
  •  - Foto: AFP
    - Foto: AFP
  •  - Foto: AFP
    - Foto: AFP
  •  - Foto: AFP
    - Foto: AFP
  •  - Foto: AFP
    - Foto: AFP

LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS