Jornal do Commercio

OPOSTOS

Náutico e Sport chegam à decisão com emocionais distintos

Timbu foi eliminado do Nordestão e da Copa do Brasil, já o Leão segue em todas as competições que disputa

Felipe Holanda e Filipe Farias
esportes@jc.com.br

Publicado em

Náutico e Sport se enfrentam, na Arena PE, pelas semifinais do Campeonato Pernambucano
Náutico e Sport se enfrentam, na Arena PE, pelas semifinais do Campeonato Pernambucano
Foto: JC Imagem

Um clássico que pode ser decidido com a cabeça. Domingo, na Arena de Pernambuco, Náutico e Sport vivem fases distintas e precisam de equilíbrio mental para suportar a pressão que gira em torno do duelo decisivo, valendo vaga na final do Campeonato Pernambucano. O Timbu, descansando fisicamente, vem com a autoestima baixa, há 13 anos na seca de títulos (completos nesta semana) e vê no Estadual a única chance de levantar um troféu no semestre. Já o Leão, desgastado no quesito físico, segue vivo nas cinco competições que disputa e com a moral elevada.

O primeiro semestre do Náutico está longe de ser o traçado pela diretoria alvirrubra para a temporada 2017. Eliminado ainda na primeira fase da Copa do Brasil para o modesto Guarani de Juazeiro e ficando pelo meio do caminho na fase de grupos da Copa do Nordeste, o Timbu pode amargar mais uma decepção no ano caso não consiga superar o Sport e avançar à decisão do Campeonato Pernambucano.

 

Mesmo diante de tantas decepções nesse início de temporada, Tiago Alves acredita que os resultados negativos em competições anteriores não vão influenciar na decisão diante dos rubro-negros. “Isso já foi superado e não adianta ficar remoendo o que já passou”, falou o zagueiro, que não relaciona o fato de o Sport estar se dando bem nos campeonatos que está disputando, a chegar com certa vantagem no duelo. “Eles estão ganhando, mas uma hora vão perder. Que seja agora, no domingo”, disse Tiago aos risos.

publicidade

Para que isso aconteça, o defensor alvirrubro sabe que será necessário que a cabeça de cada jogador precisar estar focada apenas no confronto contra o rival leonino, caso contrário, será difícil reverter o placar. “Temos de viver o jogo. Não adianta viver o passado e nem pensar no futuro. Esse é o jogo da nossa sobrevivência dentro do campeonato. A gente tem de entrar focado e psicologicamente preparado para reverter essa situação”, contou Tiago Alves.

RUBRO-NEGRO

Em vantagem na luta por uma vaga na decisão do Pernambucano, o Sport não quer deixar a peteca cair e seguir com moral. O goleiro Magrão, herói da classificação rubro-negra na Copa do Brasil, nos pênaltis, anteontem, diante do Joinville, retificou a postura do Leão em partidas com caráter decisivo. “Sem dúvidas, precisamos estar ligados no clássico de domingo e fazer um bom jogo contra o Náutico para conseguir a vaga na grande final do Pernambucano. Vamos entrar com tudo dentro de campo para ter o menor número de erros possível. O adversário vem mordido pela derrota na primeira partida, mas temos tudo para repetir a atuação da partida na Ilha do Retiro e sair de Arena de Pernambuco com a classificação garantida”, adiantou o arqueiro de 40 anos recém-completados.

 

Caso perca por um gol de diferença, o Sport precisará mais uma vez decidir a classificação nos pênaltis, onde vem se saindo bem na temporada. Eliminou o Campinense no Nordestão e o Joinville na Copa do Brasil. Como amuleto, tem o goleiro Magrão, que defendeu duas penalidades no meio da semana e chegou à marca de 28 intervenções da marca da cal em 12 anos no clube rubro-negro.

“Fico feliz porque defender pênalti é uma coisa muito difícil. Não é fácil mesmo. Procuro sempre deixar a responsabilidade para o batedor. Acho que quem vai bater já vem um pouco pilhado para fazer logo o gol e isso pode acabar atrapalhando. Graças a Deus vem dando certo comigo e estou podendo fazer as defesas e ajudar o time a conseguir as vitórias necessárias”, revelou o goleiro.

LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS