Jornal do Commercio

Prisão

Janot pede que STF cancele liberdade do goleiro Bruno

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou um parecer ao STF solicitando revogação do habeas corpus

Luana Ponsoni

Publicado em

Bruno foi solto em fevereiro após receber habeas corpus de  Marco Aurélio
Bruno foi solto em fevereiro após receber habeas corpus de Marco Aurélio
AFP

Dois meses após ser solto, mesmo sem cumprir os 23 anos  pelo assassinato de Eliza Samudio, o goleiro Bruno Fernandes, do Boa Esporte, corre o risco de retornar à prisão. Na próxima terça-feira (25), a Primeira Turma do STF vai analisar pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, solicitando a revogação do habeas corpus concedido ao ex-presidiário pelo ministro Marco Aurélio Mello. Antes sob a relatoria do ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo ocorrido em janeiro deste ano, o processo agora está aos cuidados do ministro Alexandre de Moraes.

De acordo com o jornal O Globo, Bruno teve um pedido de liberdade negado pelo Superior antes da decisão pela soltura de Marco Aurélio Mello ser proferida. Por esse motivo, o goleiro deve voltar a prisão, já que, segundo Janot, não caberia a Marco Aurélio Mello apresentar habeas corpus contra decisão tomada por outros ministros do STF.

publicidade

O caso chegou ao Supremo em caráter de urgência e teve de ser encaminhado pela ministra Cármen Lúcia para Marco Aurélio Mello após a morte de Teori. Foi então que Mello concedeu o habeas corpus a Bruno.

PRIMEIRA TURMA

Agora que Alexandre Moraes ocupou a vaga de Teori, o processo foi parar em suas mãos. Além do relator e de Marco Aurélio  Mello, a Primeira Turma do STF conta ainda com Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso. As decisões são tomadas por maioria de votos.

LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS