Jornal do Commercio

Expansão urbana

Domingo é dia de Jardim do Baobá nas margens do Rio Capibaribe

Marco inicial do projeto Parque Capibaribe, local receberá atividades recreativas durante todo o dia

Ciara Carvalho
ciaracalves@gmail.com

Publicado em

Vários equipamentos já foram instalados no espaço, como uma grande mesa comunitária
Vários equipamentos já foram instalados no espaço, como uma grande mesa comunitária
André Galvão/JC Imagem

O encontro do rio com as pessoas. E das pessoas com a cidade. Uma cidade que pedala, corre, navega, que redescobre um passado em que olhos e quintais eram voltados para o rio. Aquele que o poeta João Cabral de Melo Neto comparava a um “cão sem plumas”. A programação de hoje é vivenciar tudo isso em torno de uma árvore centenária. O encontro será no Jardim do Baobá, marco inicial do Parque Capibaribe, uma espécie de pedra fundamental do projeto que prevê 30 quilômetros de extensão ligando a Várzea, na Zona Oeste, à Boa Vista, no Centro, cortando, nesse percurso, 21 bairros do Recife.

O “Domingo no Baobá” acontece das 9h às 17h e funcionará como uma prévia do que a população vai encontrar no novo espaço, que está quase pronto. O acesso ao jardim é feito pelas Ruas Madre Loyola e Antônio Celso Uchoa Cavalcanti, por trás da Estação Ponte D’Uchoa, no bairro das Graças, na Zona Norte. No local, às margens do Rio Capibaribe, já estão instalados mesa comunitária, bancos, balanços e píer. A inauguração oficial só deve acontecer dentro de 60 dias, quando todos os equipamentos estiverem funcionando.

A criação do jardim só foi possível após uma pressão para que os imóveis daquela área recuassem os seus muros em relação à margem do rio. A recuperação do espaço, que abriga um dos maiores e mais velhos baobás do Recife, custou R$ 1 milhão, pago pelo Hospital Português como contrapartida de obras de impacto ambiental. O jardim virou um refúgio, frequentado por capivaras, saguis, lontras, entre outros animais. Hoje a ideia é aproveitar esse espaço com piqueniques, brincadeiras para crianças, atividades artísticas e de lazer, ioga, meditação, pilates, práticas esportivas.

publicidade

“Queremos que a população comece a se apropriar do espaço, passe a frequentá-lo, é uma forma de dar vida ao Parque Capibaribe, que é um projeto de longo prazo”, afirma o secretário-executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, Romero Pereira. O Parque Capibaribe é fruto de um convênio entre a prefeitura e o Inciti, grupo de Pesquisa e Inovação para as Cidades, ligado à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

VIA PARQUE DAS GRAÇAS

A próxima etapa será a construção da Via Parque das Graças, no trecho entre as pontes da Capunga e da Torre. O projeto substitui o que seria a nova Avenida Beira-Rio,uma via de quatro faixas para automóveis. Em seu lugar, a promessa é de implantar jardins, praças, brinquedos, uma varanda e até uma passarela de acesso ao rio, no trecho onde há um imóvel tombado. Uma ciclovia e uma pista para pedestres também estão incluídas no projeto. A Beira-Rio deve ficar restrita a apenas duas faixas de rolamento, que funcionarão como Zona 30, igual à do Bairro do Recife.

Segundo a prefeitura, a licitação deverá ser aberta no início do próximo mês, com início da obra previsto para janeiro de 2017. A via terá quase um quilômetro. A obra está orçada em R$ 28 milhões e a expectativa de conclusão é só em janeiro de 2018. Como a prefeitura já havia garantido R$ 56 milhões para realizar a intervenção da Avenida Beira-Rio, a ideia é que o restante do dinheiro seja utilizado em outras etapas do Parque Capibaribe. Já existe projeto executivo pronto para o trecho que vai do Jardim do Baobá até o Parque de Santana, na Zona Norte do Recife.

  • Trecho do Rio Capibaribe em São Lourenço da Mata. Área é alvo de plano urbanístico feito pela UFPE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Trecho do Rio Capibaribe em São Lourenço da Mata. Área é alvo de plano urbanístico feito pela UFPE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Docentes e alunos da UFPE propõem plano urbanístico para ocupação às margens do Rio Capibaribe - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Docentes e alunos da UFPE propõem plano urbanístico para ocupação às margens do Rio Capibaribe - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Trecho do Rio Capibaribe, em São Lourenço da Mata, está preservado, com águas limpas e transparentes - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Trecho do Rio Capibaribe, em São Lourenço da Mata, está preservado, com águas limpas e transparentes - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Poucas casas estão erguidas às margens do Rio Capibaribe, no trecho estudado em São Lourenço da Mata - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Poucas casas estão erguidas às margens do Rio Capibaribe, no trecho estudado em São Lourenço da Mata - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Apesar das águas limpas, o Capibaribe é cheio de pedras no trecho estudado pelos alunos da UFPE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Apesar das águas limpas, o Capibaribe é cheio de pedras no trecho estudado pelos alunos da UFPE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Rio Capibaribe tem águas limpas e margens preservadas no trecho em estudo por alunos da UFPE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Rio Capibaribe tem águas limpas e margens preservadas no trecho em estudo por alunos da UFPE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Pescadores navegam pelo Rio Capibaribe em trechos ainda preservados em São Lourenço da Mata, na RMR - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Pescadores navegam pelo Rio Capibaribe em trechos ainda preservados em São Lourenço da Mata, na RMR - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • A pesca ainda resiste em trechos do Rio Capibaribe, localizado na área rural de São Lourenço da Mata - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    A pesca ainda resiste em trechos do Rio Capibaribe, localizado na área rural de São Lourenço da Mata - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Preservado em trechos de São Lourenço da Mata, o Rio Capibaribe sofre com a poluição na área urbana - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Preservado em trechos de São Lourenço da Mata, o Rio Capibaribe sofre com a poluição na área urbana - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
  • Ao chegar perto da área urbana, o Rio Capibaribe começa a sofrer com os esgotos domésticos - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
    Ao chegar perto da área urbana, o Rio Capibaribe começa a sofrer com os esgotos domésticos - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

LEIA TAMBÉM


MAIS LIDAS